Login

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
» Blog Mentalismo
Dom Out 19, 2014 10:02 am por Marta Ribeiro

» Espiritos apegados a Materia e a Obsessão.
Sex Mar 07, 2014 6:48 pm por wilson Moreno

» A Ciência prova a existência de Deus: ADN – Deus e o Design Inteligente
Seg Nov 26, 2012 8:56 am por Lightness

» Conceito de Espiritismo
Seg Out 08, 2012 1:33 pm por Lightness

» Os 10 Mandamentos revelados a Moisés
Seg Out 08, 2012 1:21 pm por Lightness

» Ensinamentos Básicos do Budismo
Seg Out 08, 2012 6:47 am por Lightness

» As 7 Leis de Noé
Sab Out 06, 2012 1:55 pm por Lightness

» Livros para quem desejar conhecer o espiritismo
Sab Out 06, 2012 3:53 am por Lightness

» Richard Dawkins
Ter Jun 28, 2011 7:56 pm por Monstrinho

» Por que o Darwinismo é uma religião?
Ter Jun 28, 2011 6:58 pm por Monstrinho

» Joseph Campbell
Ter Jun 14, 2011 11:09 pm por Monstrinho

» Olá!! Eu sou o Monstrinho!
Ter Jun 14, 2011 10:57 pm por Monstrinho

» Conceito de Budismo
Ter Jun 14, 2011 10:50 pm por Monstrinho

» Conceito de Deus
Ter Jun 14, 2011 10:35 pm por Monstrinho

» Reflexões sopbre o espaço e o tempo
Dom Set 05, 2010 12:33 pm por Gerson Machado de Avillez

» apocalipse
Sex Set 03, 2010 8:30 pm por icemaster

» O SILÊNCIO
Sab Ago 14, 2010 3:59 pm por Joaquim Santos Albino

» Conceito de Imortalidade
Sex Jul 23, 2010 4:41 pm por Joaquim Santos Albino

» Mentes Brilhantes
Seg Jul 12, 2010 4:35 pm por Joaquim Santos Albino

» O Inferno
Ter Jul 06, 2010 5:59 pm por icemaster

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Dezembro 2016
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Calendário Calendário

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 25 em Qui Jun 24, 2010 12:44 pm

Crítica da Faculdade do Juízo - Immanuel Kant

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Crítica da Faculdade do Juízo - Immanuel Kant

Mensagem  Admin em Sex Jun 11, 2010 4:56 pm

Livro - Crítica da Faculdade do Juízo

A maioria dos autores das teorias estéticas tomam Kant (http://opovodemaxial.forum-livre.com/epistemologia-f36/immanuel-kant-t38.htm) como referencial principal em suas obras, após Kant apresentar suas teorias nenhum outro filósofo depois dele deixou de o citar, refutando ou concordando, todos o mencionam. Os conceitos sobre o belo elaborados por Kant transformaram em definitivo o juízo estético. Kant irá mudar as bases do juízo estético ocidental que até ele vinculavam as obras de arte e a beleza natural ao sobrenatural. A beleza até então era algo que a razão não poderia compreender, a arte era quem transpunha o incognoscível absoluto e pelos símbolos trazia o ideal para o real. O que tornava a arte apreciável até então era o prazer do deleite com o belo, a influência moral que exercia sobre natureza humana.
Para Kant o juízo estético é oriundo do sentimento, e funciona no ser humano como intermediário entre a razão e o intelecto. A função da razão é prática já função do intelecto é elaborar teorias sobre os fenômenos. Os fenômenos que são percebidos pelos sentidos através da intuição, transformam-se em algo compreensível o que permitiria a emissão de um juízo estético. Tal juízo não conduziria a um conhecimento intrínseco do objeto, portanto não teria um valor cognitivo, nem tampouco seria um juízo sobre a perfeição do objeto ou fenômeno, sendo correto independentemente dos conceitos ou das sensações produzidas pelos objetos.
Os sentimentos de prazer e desprazer em Kant estão ligados as sensações estéticas e pertencem ao sujeito, são estes sentimentos subjetivos, não lógicos que emitem o conceito do belo, são eles que formam o juízo do gosto. A percepção de um objeto ou fenômeno que instiga a sensação de prazer provoca a fruição ou gozo e a essas sensações damos os nomes de belo, bonito e beleza. A questão do belo seria então algo subjetivo, e por ser subjetivo é livremente atribuído, sem parâmetro, fundado na “norma pessoal”. São os sentimentos oriundos das sensações agradáveis que emitem o juízo do belo, induzindo o desejo de permanecer usufruindo tais sensações. O interesse imediato diante das sensações prazerosas é a continuidade.
Kant afirmava ser impossível encontrar regras teóricas para a construção de belos objetos. E é impossível porque, quando julgo que um objeto se inclui em certo princípio geral ou se conforma com esta ou aquela regra, estou fazendo um juízo intelectual dessa ordem, não posso “inferir que ele é belo”. A beleza não dependeria de provas intelectivas, mas sim do senso de prazer gerado. O prazer é a ligação principal que Kant faz com o belo, por ser um prazer subjetivo, ele é desprovido do sentido de conhecimento, não está vinculado à realidade de um objeto ou fenômeno, o prazer que o belo proporciona vem apenas das representações sensivelmente apreendidas.

Admin
Admin

Mensagens : 47
Data de inscrição : 04/06/2010
Idade : 50
Localização : Portugal

Ver perfil do usuário http://opovodemaxial.forum-livre.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum