Login

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
» Blog Mentalismo
Dom Out 19, 2014 10:02 am por Marta Ribeiro

» Espiritos apegados a Materia e a Obsessão.
Sex Mar 07, 2014 6:48 pm por wilson Moreno

» A Ciência prova a existência de Deus: ADN – Deus e o Design Inteligente
Seg Nov 26, 2012 8:56 am por Lightness

» Conceito de Espiritismo
Seg Out 08, 2012 1:33 pm por Lightness

» Os 10 Mandamentos revelados a Moisés
Seg Out 08, 2012 1:21 pm por Lightness

» Ensinamentos Básicos do Budismo
Seg Out 08, 2012 6:47 am por Lightness

» As 7 Leis de Noé
Sab Out 06, 2012 1:55 pm por Lightness

» Livros para quem desejar conhecer o espiritismo
Sab Out 06, 2012 3:53 am por Lightness

» Richard Dawkins
Ter Jun 28, 2011 7:56 pm por Monstrinho

» Por que o Darwinismo é uma religião?
Ter Jun 28, 2011 6:58 pm por Monstrinho

» Joseph Campbell
Ter Jun 14, 2011 11:09 pm por Monstrinho

» Olá!! Eu sou o Monstrinho!
Ter Jun 14, 2011 10:57 pm por Monstrinho

» Conceito de Budismo
Ter Jun 14, 2011 10:50 pm por Monstrinho

» Conceito de Deus
Ter Jun 14, 2011 10:35 pm por Monstrinho

» Reflexões sopbre o espaço e o tempo
Dom Set 05, 2010 12:33 pm por Gerson Machado de Avillez

» apocalipse
Sex Set 03, 2010 8:30 pm por icemaster

» O SILÊNCIO
Sab Ago 14, 2010 3:59 pm por Joaquim Santos Albino

» Conceito de Imortalidade
Sex Jul 23, 2010 4:41 pm por Joaquim Santos Albino

» Mentes Brilhantes
Seg Jul 12, 2010 4:35 pm por Joaquim Santos Albino

» O Inferno
Ter Jul 06, 2010 5:59 pm por icemaster

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Dezembro 2016
SegTerQuaQuiSexSabDom
   1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 

Calendário Calendário

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

[ Ver toda a lista ]


O recorde de usuários online foi de 25 em Qui Jun 24, 2010 12:44 pm

William James

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

William James

Mensagem  Admin em Dom Jun 13, 2010 5:19 am


Willliam James (11 de janeiro de 1842 – 26 de agosto de 1910) foi um pioneiro psicólogo e filósofo estadunidense, com formação em medicina. Ele escreveu livros influentes sobre a então jovem ciência da psicologia, incluindo temas como a educação e a psicologia da experiência religiosa. James foi um dos formuladores e defensores da filosofia do pragmatismo, perspectiva influente nos Estados Unidos por boa parte do século XX. Ele era irmão de Henry James e Alice James.
James interagiu com uma ampla gama de escritores e acadêmicos ao longo de sua vida, incluindo seu padrinho Ralph Waldo Emerson, seu afilhado William James Sidis, e outros como Bertrand Russell, Charles Peirce, George Santayana, John Dewey, Mark Twain e Carl Jung. Sua obra foi uma das grandes influências que embasam o movimento neo-pragmático de Nelson Goodman, Richard Rorty e Hilary Putnam.

Em 1878, após 12 anos de escrita, William James publicou o livro Princípios de Psicologia, uma obra pioneira que combinava elementos de filosofia, fisiologia e psicologia. O livro abordou temas diversos como o fluxo de consciência (conceito introduzido por James), a vontade e as emoções. Embora inclua diferentes abordagens e métodos, James (influenciado por contemporâneos como Wilhelm Wundt e Gustav Theodor Fechner) declarou que Princípios de Psicologia é uma obra derivada do método da introspecção. Assim, o autor utiliza diferentes experiências próprias para ilustrar conceitos psicológicos, como a atenção e a consciência.
Um dos capítulos mais influentes dessa obra diz respeito às emoções. Nele, James expõe sua teoria – também associada a Carl Lange – que as emoções são conseqüências, e não causas, das reações fisiológicas associadas a ela: “O senso comum diz, nós perdemos algo, ficamos tristes e choramos; nós encontramos um urso, nos assustamos e corremos; somos insultados por um rival, ficamos bravos e atacamos. A hipótese a ser defendida aqui é que essa sequência está incorreta... que nós nos sentimos tristes porque choramos, bravos porque atacamos, e com medo porque trememos”. James defendia que é conceitualmente impossível imaginar uma emoção como a culpa sem suas claras conseqüências fisiológicas, como as lágrimas, dores no peito e falta de ar.

Uma compilação de palestras de James sobre “Teologia Natural” resultou no livro Variedades da Experiência Religiosa, publicado em 1902. Essa obra se ocupava de uma discussão sobre o lugar ocupado pelo sentimento religioso, frente ao crescente materialismo científico de sua época. O interesse de James não estava em religiões organizadas ou instituições, mas nos sentimentos e atos que cada um experienciava em sua relação com o que considerava divino. James não acreditava que a religião fosse a fonte da moralidade e do sentido existencial, embora pudesse exercer esse papel para alguns indivíduos. A obra aborda a singularidade das experiências místicas, mencionando que seu significado era pessoal e dificilmente transferível através de linguagem.
Para James, a experiência religiosa poderia levar a um estado de satisfação e contentamento, além de promover uma perspectiva mais alegre e otimista do mundo e do futuro. Por essa razão, considerou que o sentimento religioso pode ser útil, sendo mais uma dimensão da experiência humana. Embora reconheça que a utilidade da religião não a torna verdadeira, James começou a desenvolver nessa obra o sentido de verdade utilitária que seria exposto em mais detalhes em Pragmatismo. A experiência religiosa ou mística seria verdadeira enquanto ferramenta útil para determinados fins. Assim, o autor defende que a religião é um fenômeno real, no sentido que seu simbolismo evoca sentimentos e ações concretas, que não deveriam ser ignorados pela ciência.

A perspectiva filosófica exposta em Pragmatismo, de 1907, postula que as teorias científicas e filosóficas devem ser usadas como instrumentos a serem julgados por seus resultados ou fins. James argumenta que todas as teorias são apenas aproximações da realidade, e que portanto seria um erro considerá-las apenas por sua própria coerência interna. O autor argumenta que essa busca por coerência seria a posição racionalista, em que a busca de princípios e categorias platônicas se sobrepõe aos fatos e aos resultados. Em contraponto, James sugere que a veracidade de uma idéia deve ser considerada em um sentido instrumental, analisando os resultados produzidos por sua adoção.
Uma das conseqüências dessa visão utilitária da verdade é que fenômenos como a religião, que para James são idéias úteis, deveriam ser considerados verdadeiros se mostrassem bons resultados: “em princípios pragmáticos, se a hipótese de Deus funciona satisfatoriamente no sentido mais amplo da palavra, ela é verdadeira”. A filosofia do pragmatismo é, para James, um meio-termo entre o racionalismo e o empiricismo, sendo uma perspectiva aberta à investigação de qualquer hipótese, desde que essa seja capaz de se mostrar concretamente útil. A perspectiva pragmatista de James teve grande influência para o movimento funcionalista da psicologia.
Fonte: Wikipédia

Livro: Experiências de um Psiquista
Link para download:
http://www.4shared.com/document/VuaSCZm1/William_James_-_Experincias_de.htm

Admin
Admin

Mensagens : 47
Data de inscrição : 04/06/2010
Idade : 50
Localização : Portugal

Ver perfil do usuário http://opovodemaxial.forum-livre.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum